Compartilhe
Vídeo de estupro coletivo ao vivo no Facebook choca a internet; veja
Classifique esse post

Alguns crimes chocam a internet pela maneira como acontecem. No Brasil e no mundo, uma discussão bem comum é a do estupro. É comum que situações periclitantes ganhem a mídia. Afinal, geram discussões sobre o que existe de pior na sociedade. Em março passado, um vídeo de Estupro coletivo que aconteceu ao vivo no Facebook acabou tendo repercussão em todo o mundo.

As informações são de que uma menina de 15 anos teria sido estuprada em tempo real por cinco ou seis homens. No momento do abuso sexual, pelo menos 40 pessoas assistiam à transmissão. Elas também podem responder pelo crime. Afinal, poucas foram as que fizeram algo para tentar mudar tudo o que aconteceu.

Estupro coletivo foi mostrado ao vivo na internet; saiba o que aconteceu. O Departamento de Polícia de Chicago, nos Estados Unidos, imediatamente começou uma investigação sobre o assunto. Esse não é o primeiro crime do tipo que se tem notícia na internet. Na Suécia, por exemplo, uma mulher foi abusada por três homens. A violência sexual também foi transmitida em tempo real.

No Brasil, uma menina foi abusada por mais de 30 homens em uma favela do Rio de Janeiro. Apesar da transmissão do abuso não ter sido ao vivo, o vídeo em que ela é molestada foi compartilhado nas redes sociais e virou um grande viral da web.

Nos Estados Unidos, pouco antes do estupro da adolescente pelos seis homens, um homem com deficiência mental já havia sido vítima de uma tortura ao vivo. O medo das autoridades é que o fato da tecnologia propiciar que muitas pessoas assistam ao crime sirva como incentivo para que muita gente cometa também mais irregularidades.

Mãe vê abuso sexual da própria filha pelo Facebook e menina desaparece. A situação da menina ficou ainda pior a partir do momento que a mãe dela acabou vendo o abuso. Foi a ela quem procurou a polícia para tentar acabar de vez com o sumiço da garota. O porta-voz da polícia local, Anthony Guglielmi, deu detalhes sobre o crime. Ele explicou que a menina desapareceu desde o estupro e que as imagens transmitidas ao vivo pela internet poderiam agora ajudar a achar o seu paradeiro, assim como identificar os homens que fizeram a maldade com a garota.

Semanas depois, a menina acabou sendo encontrada e reunida com a família. Ela teria passado por alguns tratamentos a fim de que não ficasse qualquer sequela pelo terrível ato que aconteceu. Segundo Guglielmi, a garota contou aos detetives que conhecia ao menos um dos supostos agressores, mas não ficou claro se eles se conheciam. A partir de então, os investigadores iniciaram a coleta de depoimentos.

MCeara