Compartilhe

A Polícia Civil ouviu o motorista suspeito de provocar o grave acidente na BR-251, que deixou 13 mortos e 39 feridos. Segundo a polícia, Daniel Alves da Silva, de 39 anos, declarou que dirigia o veículo há cerca de 12 horas; na segunda-feira (15) o motorista havia afirmado à imprensa que dirigia apenas há seis horas.

“Ele declarou que por volta das 15h, do dia anterior, eles pararam para almoçar e a partir daí ele assumiu a direção. Disse também que cerca de 30 minutos antes do acidente eles retomaram a viagem, após ficarem cerca de 50 minutos em uma lanchonete onde tomaram um café”, explica o delegado Herivélton Ruas Santana.

O motorista reafirmou à polícia que estava desempregado e foi chamado pelo dono do caminhão para fazer esta viagem. “Apesar dele alegar que tem 10 anos que possui habilitação para dirigir este tipo de veículo, ele estava há cerca de um ano afastado desta função; ele era motorista de van escolar. Ainda, ele afirmou que nunca tinha realizado uma viagem tão longa, com dois ou três mil quilômetros”, diz Santana.

Um laudo da perícia realizada no local do acidente será finalizado em até 30 dias, mas, preliminarmente, a polícia acredita que o caminhão conduzido por Daniel invadiu a pista contrária e iniciou a sequência de choques, envolvendo sete veículos. “Ele disse que se deparou com a carreta carregada de papel, que teria invadido a direção contrária, mas pelo que já foi apurado o veículo que ele conduzia é que invadiu a contramão, já que a perícia aponta marcas de frenagem na contramão momentos antes de bater com a carreta carregada de papel”.

G1