Compartilhe

Polícia Civil investiga mãe suspeita de incitar um menino deficiente de 2 anos a comer a ração do cachorro e registrar a cena, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. No vídeo, a mulher fala de maneira agressiva com a criança, que está deitada de bruços no chão, com o rosto dentro da vasilha do animal. Além dela, uma tia-avó materna da criança também teria participado das agressões. O garoto não consegue andar.

Em nota assinada pela advogada Márcia Gabrielle Sampaio Carvalho, os pais da criança negaram intenção “pejorativa ou maldosa” na gravação das imagens, “uma vez que a criança é muito amada e cuidada por todos que o cercam” e dizem estar sofrendo com a repercussão do caso.

“[O sofrimento ocorre] Por crueldade e irresponsabilidade de sua avó paterna que, ao ter acesso ao vídeo em um grupo familiar, distorceu os fatos e lançou as imagens nas redes sociais de forma negativa, ganhando interpretação diversa do contexto real das gravações (sic)”, diz o texto.

No vídeo, as mulheres pedem para que o cachorro da casa se afaste e riem do garoto. Durante a gravação, elas chamam a criança pelo nome do cão e usam um “filho” ou “2” em seguida. Em respeito ao leitor, não exibiremos os trechos que mostram o menino comendo a ração.

Mãe: “Ei, menino, você não vai almoçar, não?”

O caso foi denunciado pela avó paterna nesta quarta-feira (4). Em depoimento, ela afirma que o garoto tem insuficiência múltipla e mora com a mãe e a tia-avó. Aos fins de semana, o menino fica com a avó paterna, que disse já ter recebido a criança com alguns machucados e que sempre “tira a história a limpo”.

G1