O juiz Renan Brandão, da Comarca de Umarizal, deve decidir até o final do dia desta quinta-feira se homologa ou não a prisão em flagrante do médico Wilson Edino Freire Jales e outros três comparsas lavrado na Delegacia Regional de Patu.

O médico e os comparsas foram autuados por matar por pura maldade a aposentada Francisca Alves da Silva Oliveira, Dona Chica, de 68 anos, e tentar matar o agricultor Nonato, esposo de Dona Chica que sobreviveu rolando no chão e correndo para dentro do mato.

Os comparsas do médico Wilson Jales são:

LEONARDO RODRIGUES DO NASCIMENTO, brasileiro, união estável, natural de Areia Branca/RN, ajudante, nascido em 19.04.1995. Residente em Areia Branca.

JULIO RICARDO NETO, brasileiro, união estável, natural de Caraúbas, dono de um prostíbulo, nascido em 12.08.1992. Residente em Governador Dix Sept Rosado.

ISRAEL FRANCO DE OLIVEIRA, brasileiro, solteiro, natural de Mossoró/RN, autônomo, nascido em 14.05.1985. Residente no bairro Santo Antônio em Mossoró.

Os quatro foram presos num bar no Centro da cidade de Patu no final da manhã desta quarta-feira, 9, depois de matarem Dona Chica no trevo de acesso da cidade de Rafael Godeiro a cidade de Patu, numa região conhecida como Posto de Petros.

Inclusive, o delegado Sandro Régis, que conduz as investigações, disse que efetuaram tiros na frente do bar onde os quatro suspeitos foram presos pela Policia Civil em parceria com o a Policia Militar. O trabalho de investigação, segundo o delegado, continua.

Nos depoimentos, o preso Leonardo Rodrigues do Nascimento afirmou categoricamente ao delegado Sandro Régis que o médico Wilson Jales havia mando matar o motorista de ambulância e um agricultor em Patu e também um comparsa em Areia Branca.

Catolé em Foco
Fonte: Mossoró Hoje

Mais notícias em catoleemfoco.com
Nossas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter
Entre no grupo do whatsapp: Clique AQUI
Entre no grupo 02 do whatsapp: Clique AQUI

Tag